Navegue
facilities
Compartilhar no facebook
Compartilhe no Facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhe no Twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhe no Linkedin

Saiba como reduzir as manutenções reativas em facilities

Manutenção reativa é qualquer trabalho que tenha sido marcado como urgente, requerendo atenção imediata, podendo ser planejado ou não. Na área de gerenciamento de facilities, isso pode ser algo aparentemente tão simples como a bomba d’água do centro de controle de uma rede elétrica – você notou que, no último mês, ela não estava funcionando tão bem quanto deveria estar, com barulhos estranhos e, agora, parou de funcionar.

Então o assunto se torna uma emergência – e você reserva um técnico para reparos urgentes. Enquanto isso, a bomba está fora de ação, o que, a menos que haja caixa d´água bem grande, e dependendo do número de funcionários, pode até fazer com que seja necessário interromper o trabalho, deixando apenas o pessoal crítico de plantão.

Esse é apenas um exemplo simples das desvantagens das manutenções reativas. Vamos conferir alguns dos problemas causados por essa estratégia de manutenção:

Dificuldade de controlar os orçamentos – Sem uma estratégia de manutenção preditiva ou preventiva, as falhas no equipamento podem ser imprevisíveis, o que significa que mão de obra e peças de reposição podem não estar disponíveis quando uma falha ocorre. Com isso, as organizações podem acabar pagando um preço mais alto pelo envio de peças de emergência, tempo de viagem e suporte fora do horário acordado em contrato.

 Menor expectativa de vida útil dos ativos – As manutenções reativas não mantêm os sistemas funcionando em condições ideais. Com o tempo, esses sistemas podem não maximizar seu investimento inicial em custo de capital.

Problemas de segurança – Os técnicos tendem a correr mais riscos quando o trabalho de manutenção é reativo, pois estão sob pressão para colocar os sistemas em funcionamento sem demora. Quando o trabalho é agendado, os técnicos têm tempo para revisar os procedimentos padrão e os requisitos de segurança para concluir o trabalho corretamente.

 Maior demora nos reparos – Os reparos reativos tendem a levar mais tempo por causa do tempo necessário para diagnosticar o problema, tempo para retirar peças no estoque ou mesmo comprar peças, tempo para consultar manuais e esquemas corretos etc.

Uso ineficiente de recursos – Os reparos de emergência geralmente são priorizados às custas do trabalho planejado, que pode até ser cancelado.

Dano colateral – Um pequeno problema pode rapidamente resultar em um grande reparo no sistema.

Custos indiretos – O tempo de inatividade não planejada pode levar a atraso nas entregas se o equipamento não puder ser devolvido à produção a tempo. Isso pode prejudicar a reputação da marca e afetar a lucratividade.

Problemas recorrentes – As manutenções reativas fazem o mínimo necessário para colocar novamente o sistema em funcionamento. Se não for reparado corretamente, o problema poderá ocorrer novamente e causar mais tempo de inatividade.

Custos de energia mais altos – Quando o equipamento não é mantido adequadamente, ele consome mais energia. Fazer manutenções simples, como lubrificar peças móveis ou trocar filtros, pode reduzir o consumo de energia em 15%.

Como reduzir as manutenções reativas em facilities

1 – Usando a inteligência dos dados para criar agendamentos de manutenção

Mesmo sem deixar de lado o feedback da equipe, atualmente já existem tecnologias que permitem às empresas extrair insights importantes de diferentes fontes de dados, a fim de enriquecer a tomada de decisões com maior eficiência, e isso deve ser considerado para reduzir as manutenções reativas. Com os sistemas para gestão de ativos da Atech, você facilita sua jornada rumo à #IndustryNXT, por meio de tecnologias que dão controle de ponta a ponta dos processos de manutenção de forma simples e integrada, maximizando o uso dos ativos e garantindo a confiabilidade das operações, com ferramentas que extraem inteligência dos dados.

2 – Engajando os colaboradores

Garanta que a sua equipe tenha entendimento e conhecimento de suas instalações e de seus equipamentos, para que, se um item começar a apresentar um defeito, eles possam identificar uma possível falha e relatá-la imediatamente. Isso pode ajudar a reduzir enormes custos de reparo, pois o problema pode, nessa fase, ser pequeno o suficiente para ser corrigido rapidamente, com o mínimo de interrupção.

3 – Implantando a manutenção planejada

A introdução de um programa de manutenção planejada em seus negócios é uma maneira altamente eficaz de reduzir a necessidade das manutenções reativas. Com manutenção regular em toda a sua instalação, você pode garantir que quaisquer problemas sejam detectados mais cedo e que peças quebradas ou com defeito sejam substituídas imediatamente. Isso reduz a chance de grandes avarias que não apenas custam grandes quantias de dinheiro, mas exigem que sua empresa reduza as atividades ou mesmo pare a produção enquanto o problema é resolvido.

É verdade é que é impossível evitar totalmente a necessidade de reparos de emergência, mas se você optar por confiar apenas nas manutenções reativas como sua principal estratégia de gestão de ativos, precisará garantir que todas as falhas tenham um impacto mínimo nos seus negócios. Você pode reduzir o impacto de falhas não planejadas executando linhas de produção paralelas, estocando um conjunto completo de peças de reposição, documentando procedimentos de emergência, treinando sua equipe sobre como responder a reparos de emergência e fornecendo as ferramentas e habilidades necessárias para concluir qualquer reparo. Mas será que vale a pena tanto esforço?

Receba nossos conteúdos

Preencha seu email e receba nossos conteúdos sobre Gestão de Ativos

Entre em contato

Email: contato@atech.com.br
Tel.: 55 (11) 3103-4600
Rua do Rocio, 313 – 5° andar
Vila Olímpia – São Paulo – SP

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Criado pela Intelligenzia