Navegue
Saiba como dar mais eficiência à logística no setor minerador
Compartilhar no facebook
Compartilhe no Facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhe no Twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhe no Linkedin

Saiba como dar mais eficiência à logística no setor minerador

A logística no setor minerador geralmente envolve diversos modais, integrando minas, rodovias, ferrovias, navios e portos. E, no caso do transporte do minério de ferro, que é o mais importante produto do setor no Brasil, a complexidade da logística começa com o seu baixo valor específico – razão do valor do produto pelo seu peso – já que o preço obtido por quilograma do produto é baixo quando comparado com o preço por quilograma de outros produtos como equipamentos eletrônicos, por exemplo.

Produtos de baixo valor específico têm elevado custo de transporte, já que esse é crescente em função do peso da mercadoria. Por conta disso e de outros fatores, a cadeia logística no setor minerador representa uma parcela relevante no custo total do minério de ferro, o que faz com que, para manter a competitividade, as empresas busquem maior eficiência com a adoção de inovadoras tecnologias, sistemas de gestão logística e soluções de IoT (Internet das Coisas).

O caminho da mina até o navio

Das minas até o trem, o carregamento do minério de ferro pode ser feito de três formas. Na primeira, os minérios estocados nos pátios das minas são levados pela correia transportadora até os silos, operados por um profissional para abrir e fechar as portas até encher os vagões com a quantidade de minério adequada. A segunda opção é fazer o carregamento com o auxílio de pás-carregadeiras. O equipamento pega o minério empilhado e descarrega diretamente em um vagão. A terceira forma de se colocar os minérios nos vagões é por meio dos chamados muros de carregamento: o caminhão se posiciona na beirada de um muro ou doca, bascula a caçamba para que o minério escoe diretamente no vagão vazio posicionado na linha logo abaixo do muro.

Para dimensionar o tamanho adequado de uma frota que percorrerá uma determinada ferrovia, os especialistas em logística ferroviária levam em consideração uma série de fatores. Depois de analisarem o volume de carga a ser transportado diariamente, os profissionais da ferrovia calculam uma média de tempo para cada etapa existente no transporte do minério da mina até o porto: carregamento do produto, viagem, descarga do minério no virador de vagões e, ainda, a formação novamente da composição – vagões e locomotivas – no pátio de manobras.

Carregamento, viagem e descarga formam um ciclo que, analisado juntamente com o peso médio de carga, os indicadores de disponibilidade de vagões e locomotivas, a utilização das locomotivas e a disponibilidade da via permanente, (incluindo-se a sinalização), permitem o correto dimensionamento das frotas e da via.

Quando chega no porto, começam as operações de descarga, pátio e embarque, onde, em primeiro lugar, o minério de ferro é descarregado pelos viradores de vagões, que trabalham virando uma dupla de vagões por vez e têm o papel de, como o próprio nome já diz, virar os vagões dos trens para descarregar o minério. Depois de passar pelos viradores, os minérios podem seguir para quatro caminhos diferentes, pré-estabelecidos ainda na saída da mina.

Essa etapa é chamada de “direcionamento” e geralmente segue uma dessas quatro direções:

  • Ir diretamente para o navio. É uma operação eventual, não costuma ser praxe
  • Seguir para o sistema de classificação
  • Ser enviado para o pátio de estocagem, onde será “blendado” (misturado) com minérios de outras origens. O objetivo é chegar ao produto final contratado pelo cliente e é o procedimento mais comum
  • Enviar o minério para a pelotização – processo aplicado para aglutinar as partículas de um minério que facilita as operações metalúrgicas posteriores

 E, do pátio de estocagem, o minério é colocado em transportadores de correia pelas empilhadeiras recuperadoras, até chegar aos carregadores de navios.

O desafio da logística no setor minerador

Como visto acima, em linhas gerais, a cadeia logística no setor minerador envolve diversas etapas, com o uso de equipamentos pesados e a necessidade de pessoal especializado desde a fase de extração, movimentação, armazenagem até a entrega do produto.

A implantação de um sistema logístico acontece corretamente quando alguns pré-requisitos são observados, entre eles:

  • O sistema foi planejado para atender as necessidades dos clientes
  • O pessoal envolvido recebeu os treinamentos necessários
  • Foram definidos os níveis de serviços que serão oferecidos
  • Segmentação dos serviços, de acordo com os requisitos de serviço dos clientes e com a lucratividade de cada segmento bem definida
  • Utilização de tecnologia de informação na integração de operações, como a plataforma OKTO, desenvolvida pela Atech
  • Previsões de demanda e estudos de comportamento do mercado confiáveis
  • Adoção de indicadores de desempenho que garantem o alcance dos objetivos

E cada vez mais todas as operações são baseadas nos dados enviados pelos sensores embarcados em diversos equipamentos em todas as etapas da cadeia logística no setor minerador – a chamada mina digital. Esses dados, integrados, contextualizados e entregues em tempo real, é que vão levar mais eficiência aos processos logísticos.

Sem o uso de soluções inovadoras, é impossível lidar com a complexidade da cadeia logística do setor minerador, que demanda a integração e análise de uma quantidade cada vez maior de informações, coletadas em diversas fontes e em formatos diversos.

Somente com a adoção de inovadoras soluções de gestão logística, como a plataforma OKTO, é possível implantar um eficiente planejamento e execução das operações, integrando toda a cadeia de suprimentos e compartilhando informações que são transformadas em inteligência e insights para os tomadores de decisão. Saiba mais sobre as soluções desenvolvidas pela Atech especialmente para o setor de mineração.

Receba nossos conteúdos

Preencha seu email e receba nossos conteúdos sobre Logística

Entre em contato

Email: contato@atech.com.br
Tel.: 55 (11) 3103-4600
Rua do Rocio, 313 – 5° andar
Vila Olímpia – São Paulo – SP

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Criado pela Intelligenzia