A Atech teve sua tecnologia de Redes MESH – oferecida em parceria com a Desh Tecnologia – homologada pela EDP após a distribuidora de energia elétrica do Alto Tietê, Vale do Paraíba e Litoral Norte de São Paulo testar e aprovar a tecnologia para conexão de religadores.

Durante oito meses de teste, além de demonstrar níveis de disponibilidade entre 98% e 99%, a tecnologia se revelou uma solução de conectividade de excelente custo-benefício, com custo aproximado de 30% em comparação à tecnologia de conexão por rádio modem, a mais utilizada pela EDP atualmente.

Segundo Ricardo Hayashi, product manager da Atech em Conexões Inteligentes, a solução de Rede MESH tem atendido à demanda do setor de energia por apresentar maior eficiência no monitoramento remoto dos religadores.

“Hoje esses religadores são conectados por redes 3G/4G ou por rádio modem. Comparando as duas tecnologias, as redes 3G/4G, apesar de mais baratas, apresentam problemas de confiabilidade, e as falhas de conexão são constantes, exigindo que a empresa envie equipes de técnicos até o local para restabelecer a energia quando necessário. O rádio modem, por outro lado, apesar de confiável, tem altos custos de aquisição, implementação e manutenção. A Rede MESH une o melhor dessas duas tecnologias, oferecendo alta confiabilidade, menores custos de implementação e manutenção e maior escalabilidade”, explica o executivo.

Para Rogério Marques, gestor operacional de sistemas de controle da EDP em São Paulo, “a Rede MESH é uma tecnologia pouco explorada no setor elétrico brasileiro e a possibilidade de contar com uma solução de conectividade que oferece mais confiabilidade que a rede celular e menos custos que a rede de rádio modem, foi um dos maiores ganhos nos testes dos equipamentos”.

A solução de Redes MESH é ideal para redes urbanas, locais com diversidade de vegetação e relevo. É uma tecnologia de simples implementação, uma vez que não são necessários dois equipamentos para atender um único enlace de rádio modem. Em vez disso, é preciso instalar apenas um equipamento para cada religador acessado pela Rede MESH. Com isso, não há necessidade de fazer apontamentos de antenas, processo que exige a presença de mão de obra técnica especializada.

Tecnologia MESH melhora o monitoramento da rede e reduz custos de deslocamento

Os testes com Redes MESH começaram no início de 2017 na EDP e foram finalizados este ano, quando ocorreu a homologação da tecnologia. Durante este período, a Atech trabalhou em uma série de mudanças nos algoritmos para otimizar o funcionamento da tecnologia e, posteriormente, a distribuidora de energia deu início a um novo teste, desta vez com 40 pontos, para avaliar a escalabilidade da tecnologia.

Com estes pontos adicionais e mais equipamentos enviando mensagens na Rede MESH, comprovou-se a capacidade de roteamento do ponto de vista adaptativo, sendo possível entender a precisão dos algoritmos de roteamento e como a tecnologia se adapta ao relevo, à vegetação e demais condições de imprevisibilidade.

Para testar como a tecnologia se comporta em cenários mais adversos e críticos, os testes de homologação iniciaram nos religadores, que são os equipamentos de monitoramento mais relevantes da rede elétrica e que por isso precisam do mais alto nível de disponibilidade.

“Toda vez que um religador não funciona à distância é necessário deslocar equipe técnica ao local do defeito. Ou seja, além da energia não contabilizada nesse período, implicando em perda de receita, temos os gastos com alocação de times especializados. Estes custos já equivalem ao valor de um ponto de Rede MESH que, graças aos altos níveis de disponibilidade, reduzem consideravelmente o risco no sistema”, ressalta Marques.

Atualmente, a EDP realiza um estudo que inclui a instalação de cerca de 200 pontos de Rede MESH na cidade de Guarulhos e que considera a escala, o relevo e o local de instalação dos equipamentos. “Estamos bem confiantes neste projeto e no potencial da tecnologia para melhorar o monitoramento de rede e reduzir custos. A implantação do sistema vai ao encontro dos investimentos contínuos da EDP em tecnologias e soluções que aprimorem a qualidade, eficiência e confiabilidade dos serviços prestados pela Companhia,” finaliza o gestor.