Os projetos de energia eólica no Brasil atingiram 12,7 gigawatts em 2017 – um aumento de 19% em relação ao ano de 2016, segundo informações da Associação Brasileira de Energia Eólica (Abeólica). Hoje o Brasil gera 7,4% de sua energia por meio da força do vento, e ocupa o 8º lugar do mundo em energia eólica instalada, com capacidade de 13.000 megawatts.

Diante deste cenário, não é surpresa que as organizações do setor tenham de investir em processos cada vez mais eficientes para garantir a competitividade e a capacidade de atender os crescentes requisitos de seus clientes.

Para vencer esse desafio, a Aeris Energy, fabricante brasileira de pás eólicas, fundada em 2010, contou com a ajuda da Atech para dar o primeiro passo em direção a um Programa de Melhoria Contínua que permitisse ganhos de excelência e produtividade.

Para isso, a Atech desenvolveu um projeto que envolveu o mapeamento de todos os macroprocessos de fabricação de pás para um dos clientes da empresa. A ação permitiu a identificação de diversas oportunidades de melhoria na fabricação, que resultou na criação de 20 projetos futuros, chamados de Quick Win.

Com décadas de expertise acumuladas na indústria aeronáutica, os passos da Atech na Aeris Energy, além da aplicação do Kaizen de Amplitude e de quatro dos projetos Quick Win, incluem a apresentação de um Workshop de Planejamento Estratégico de Melhoria Contínua que vai discutir a visão de futuro da fabricante de pás eólicas e a aplicação de práticas usadas pelo mercado e pela Embraer para alcançar excelência.

Com isso, a empresa, que fica localizada no Nordeste, região responsável por 50% do total potencial eólico brasileiro, busca obter uma série de ganhos, como atendimento de demanda, aumento de produtividade e redução de custos, refletindo diretamente nos resultados da organização.