Navegue
alooooo
Compartilhar no facebook
Compartilhe no Facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhe no Twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhe no Linkedin

Evitar a parada ou agir rapidamente diante da falha? Entenda como a gestão de ativos pode ajudar

Implantar estratégias de gestão de ativos corretas que sejam capazes de manter máquinas e equipamentos em perfeito funcionamento é uma luta diária. O que gera melhor custo-benefício – evitar a parada mantendo um cronograma de manutenção ou agir rapidamente diante da falha? Agir de forma proativa ou reativa?

Em primeiro lugar, é preciso entender como funciona cada modelo de manutenção dentro de uma estratégia de gestão de ativos:

Manutenção preditiva

A manutenção preditiva faz o acompanhamento periódico das máquinas, com base na análise de dados coletados por meio de monitoramentos ou inspeções em campo – o chamado estado do equipamento. O principal objetivo da manutenção preditiva é a verificação pontual dos ativos de modo a antecipar eventuais problemas que possam causar gastos maiores com manutenções corretivas.

Manutenção preventiva

A manutenção preventiva incentiva a possibilidade de falhas e programa reparos ou recondicionamentos das máquinas, como lubrificações, calibração e aferição de instrumentos. A meta é reduzir a probabilidade de falhas ou degradação dos serviços prestados. A manutenção preventiva é uma intervenção prevista, preparada e programada para antes da data possível do surgimento de uma falha.

 

Manutenção planejada

manutenção planejada consiste em detectar e tratar as anormalidades dos equipamentos antes que eles produzam falhas ou perdas. O objetivo principal é o desenvolvimento de um sistema que promova a eliminação de atividades não programadas de manutenção.

 

Manutenção corretiva

Já a manutenção corretiva age quando já existe uma falha, substituindo peças e componentes afetados, visando corrigir, restaurar e recuperar a capacidade de produção de uma instalação ou equipamento que tenha sofrido alteração em seu funcionamento. A manutenção corretiva é uma técnica de gerência reativa que aguarda pela falha para, assim, determinar a ação de manutenção a ser realizada na estratégia de gestão de ativos.

 

Tecnologia traz inteligência para a gestão de ativos

 

Atualmente, sensores e outros dispositivos de Internet das Coisas entregam informações sobre o estado das máquinas e equipamentos. A inteligência está em transformar esses dados em insights que permitam detectar possibilidades de falhas e agir antes de uma parada. A manutenção preditiva é que irá possibilitar reduzir custos, tanto em relação à vida útil do equipamento quanto aos prejuízos causados por uma parada não programada.

O conceito de manutenção preditiva não chega a ser uma novidade, mas vem ganhando cada vez mais espaço de destaque por conta da atual possibilidade de análise de uma grande quantidade de dados, oferecendo uma abordagem analítica orientada a dados.

E, se antes inovadoras tecnologias para a gestão de ativos eram exclusividade de grandes organizações por conta de seu alto custo, atualmente é possível encontrar soluções adequadas para empresas de todos os portes. A redução do custo de sensores, da conexão e a oferta de infraestrutura como serviço tem possibilitado a maior adoção da manutenção preditiva.

Esse modelo de manutenção evita reparos desnecessários, estoque de peças sobressalentes e aumenta a vida útil dos equipamentos e de suas peças e, ao final, reduz custos.

Como em outros modelos de manutenção, a preditiva tem suas vantagens mas, também, apresenta desafios:

 

Vantagens:

  • Maior vida útil dos equipamentos
  • Redução de downtime, programado e não programado
  • Melhor custo-benefício do que os modelos de manutenção preventiva e corretiva
  • Redução do estoque de peças

 

Desafios:

  • Monitoramento e manutenção contínuos
  • Necessidade de mudanças organizacionais
  • Treinamento contínuo

 

Peça certa, no local certo, na hora certa

Soluções de gestão de ativos que aproveitam a crescente conectividade da indústria 4.0 oferecem a capacidade de enfrentar o maior desafio da manutenção: ter a peça certa, no local certo, na hora certa.

Com isso, é possível reduzir o tempo de planejamento da manutenção de 20% a 50%, aumentar o tempo de atividade e de disponibilidade do equipamento de 10% a 20% e reduzir os custos gerais de 5% a 10%.

A manutenção preditiva deve substituir outros modelos de gestão de ativos, já que oferece mais possibilidades para as empresas maximizarem a vida útil de seus equipamentos.

Essencialmente, a manutenção preditiva analisa os dados coletados nos equipamentos conectados, prevê quando deve ocorrer uma falha e identifica quando a manutenção deve ser realizada, ajudando as empresas a fazer os corretos reparos antes mesmo que sejam absolutamente necessários.

Além de influir positivamente nas operações, a adoção da manutenção preditiva na gestão de ativos também pode gerar mais satisfação do cliente. Como? Falhas e máquinas que operam de forma irregular impactam não apenas o desempenho geral de todos os equipamentos da linha de produção, mas também podem resultar em produtos com defeito ou qualidade inferior.

Com todas essas ponderações, não resta mais dúvida de que o modelo de manutenção preditiva é o que oferece mais vantagens para o negócio. E então é hora de selecionar qual a solução de gestão de ativos mais alinhada com as suas necessidades. A Atech oferece o conjunto de soluções OKTO, desenvolvido a partir de mais de uma década de conhecimento estratégico.

Receba nossos conteúdos

Preencha seu email e receba nossos conteúdos sobre Gestão de Ativos

Entre em contato

Email: contato@atech.com.br
Tel.: 55 (11) 3103-4600
Rua do Rocio, 313 – 5° andar
Vila Olímpia – São Paulo – SP

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Criado pela Intelligenzia