Navegue
big-data-e-internet-das-coisas-entenda-esses-pilares-da-industria-40.x80275
Compartilhar no facebook
Compartilhe no Facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhe no Twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhe no Linkedin

Conheça 6 dicas para reduzir custos de operação

Alinhar a necessidade de reduzir custos de operação e ao mesmo tempo ganhar mais eficiência na produção nem sempre é uma tarefa fácil, apesar de ser prioridade dos gestores das áreas de produção. Fazer cortes sem prejudicar a qualidade e a produtividade requer muito planejamento, controle e capacidade estratégica.

Economizar para crescer e transformar é a nova estratégia para reduzir custos de operação. Para garantir competitividade, as empresas buscam rever as suas estratégias de custo, visando, com essa economia, investir em inovações e implantar modelos operacionais com a flexibilidade necessária para responder às novas oportunidades do mercado e aumentar a rentabilidade.

E quais são as ações mais eficientes para reduzir custos de operação?

1 – Implante uma eficiente gestão de ativos

O primeiro passo nessa etapa é avaliar a condição dos ativos que fazem parte da sua linha de produção, e qual é o grau de eficiência da atual estratégia de manutenção dos equipamentos. Um eficiente planejamento de gestão de ativos é que vai manter a planta em condições ideais, garantindo a confiabilidade e disponibilidade dos equipamentos e reduzir custos de operação.

2 – Leve inteligência para a cadeia de suprimentos

É essencial contar com uma boa estratégia de estoque em toda a cadeia de suprimentos, capaz de absorver possíveis impactos de variações de oferta — se houver algum problema que interrompa a produção — e de demanda — caso ocorra um aumento expressivo na procura de produtos.

3 – Mantenha o ROI e o ROX no radar

Após avaliar a condição dos ativos e os estoques, certamente você encontrou tecnologias obsoletas que podem ser atualizadas e pontos de melhoria que podem ser implantados em processos, otimizando toda a cadeia e aumentando o ROI (Return on Investment). Mas será que essas melhorias vão gerar valor para o cliente final, aumentando o ROX (Return on Experience)? Priorize as melhorias que podem reduzir os preços para atrair mais clientes.

4 – Avalie o desempenho dos seus fornecedores

É preciso ter uma boa visão de mercado, mapeando e analisando todos os seus possíveis fornecedores em toda a cadeia de suprimentos. Também é fundamental checar se o seu atual parceiro está entregando aquilo que seu empreendimento demanda. Esse acompanhamento envolve duas estratégias:

  • Monitoramento preciso e adequado dos principais indicadores-chave de desempenho (KPIs) relacionados ao fornecedor. É preciso avaliar o que você visualiza de valor nesse parceiro e o que ele está oferecendo. Para isso, é possível verificar métricas como o tempo médio de entrega de insumos e o nível de qualidade das matérias-primas
  • Proximidade com o fornecedor. É importante entender como funciona o processo do seu parceiro de modo que você tenha base para buscar melhorias que tragam ganhos para ambos. Isso envolve o conhecimento de demandas, da capacidade produtiva, do atendimento comercial oferecido por ele a outros clientes, entre outros pontos do relacionamento

5 – Automatize processos

Inovadoras soluções de IIoT (Internet das Coisas Industriais) associadas a softwares de gestão, por exemplo, podem otimizar e reduzir custos de operação logística, monitorando as etapas de armazenagem e distribuição, e otimizando o transporte até a chegada ao destino final, com visibilidade ponto a ponto.

6 – Adote a manufatura Lean

O conceito de manufatura Lean promove melhorias sistemáticas e permanentes, eliminando não apenas os desperdícios, mas também identificando suas fontes e origens, e orientando todas as atividades das operações para geração de valor e aumento da rentabilidade dos negócios. O objetivo é minimizar o desperdício dentro de uma operação fabril, com a visão de retratar com clareza o que agrega valor, e de remover o que não é relevante.

Reduzir os custos de operação certamente traz vantagens competitivas para a empresa. Afinal, com menos gastos é possível praticar preços mais competitivos, e agregar maior rentabilidade à empresa, além de colaborar para o aumento do lucro bruto e, consequentemente, do líquido. O corte de custos ainda ajuda a tornar mais enxuta e eficiente a estrutura operacional, eliminando desperdícios e gastos supérfluos, que apenas oneram a operação.

Mas os líderes de negócio também devem estar atentos à necessidade de alinhar esse desafio à adoção de softwares de gestão de ativos e de logística visando transformar as suas operações. O ideal é avaliar a cadeia, analisar dados, funções, históricos, para então pensar em maneiras de executar o trabalho com mais eficiência e reduzir custos de operação, pensando estrategicamente no longo prazo.

 

Receba nossos conteúdos

Preencha seu email e receba nossos conteúdos sobre Gestão de Ativos

Entre em contato

Email: contato@atech.com.br
Tel.: 55 (11) 3103-4600
Rua do Rocio, 313 – 5° andar
Vila Olímpia – São Paulo – SP

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Criado pela Intelligenzia