Navegue
Cinco passos para implementar um programa de manutenção preventiva eficaz
Compartilhar no facebook
Compartilhe no Facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhe no Twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhe no Linkedin

Cinco passos para implementar um programa de manutenção preventiva eficaz

[vc_row][vc_column][vc_column_text]Quais são os principais objetivos ao implementar um programa de manutenção preventiva? De forma geral, é encontrar maneiras de maximizar a vida útil de equipamentos, garantindo sua disponibilidade e confiabilidade, evitando downtime, ao mesmo tempo em que se mantém os custos de manutenção sob controle. Mas, entre o conceito geral e a implementação do programa, existe uma grande distância. Saiba quais são os principais passos para contar com um programa de manutenção preventiva que mantenha o estado dos ativos o mais próximo possível do original.

1 – Avalie o estado de todos os seus ativos

Em primeiro lugar, é preciso conhecer o ativo e a sua criticidade, avaliando a sua real condição, o esforço a que está submetido e histórico, de modo a determinar o tempo provável em que ocorrerá a falha. Não é possível, claro, determinar uma data exata de quando um equipamento irá falhar, mas, analisando o seu desempenho pode-se reduzir essa probabilidade programando a manutenção com antecedência.

O levantamento da real condição do ativo deve identificar e documentar:

  • Número de falhas, número de pequenas paradas, taxa de acidentes de trabalho, custo do downtime
  • Desempenho do equipamento
  • Estabelecer o nível de falhas – redução progressiva de falhas
  • Estabelecer metas de manutenção

2-  Comece a elaborar o programa de manutenção preventiva

Esse plano vai garantir a qualidade contínua de todos os serviços, evitando falhas e melhorando o ciclo de produção, analisando as consequências de uma falha, como detectar essa falha e com que antecedência essa falha pode ser detectada.

Todas as operações do programa de manutenção preventiva devem atender a 3 requisitos – aplicabilidade, eficiência e rentabilidade. Uma operação é aplicável se puder ser implementada, é eficiente se reduz o índice de falhas e é rentável se melhora a produção.

A periodicidade da manutenção deve inicialmente seguir as instruções do fabricante, mas condições ambientais de uso adversas, ou esforços maiores do que o previsto, podem interferir no cronograma.

As ações de manutenção são divididas em dois tipos.

Uma é a baseada no tempo, que prevê substituir ou restaurar, em intervalos pré-estabelecidos, peças e componentes que apresentam mais chances de falha conforme o seu tempo de uso. Uma vez que seu limite de tempo foi atingido, essas ações são executadas independentemente do estado em que a peça se encontra no dia da troca. Mas as ações baseadas no tempo só serão eficazes quando existir uma relação entre a idade do componente ou peça e sua probabilidade de falha.

A outra forma de avaliar a necessidade de ações de manutenção é a baseada na condição, que leva em consideração os resultados de inspeções periódicas. A análise do histórico dessas inspeções permite detectar sinais de falhas e anomalias em peças e componentes de todas as máquinas e equipamentos. O objetivo é monitorar as possíveis falhas e agir antes que elas aconteçam.

3 – Documente todas as ações

Todas as ações do programa de manutenção preventiva devem ser documentadas de modo a que sejam facilmente compreendidas, usando mais desenhos e esquemas em vez de texto. Deixe bem claro como e por quê a inspeção deve ser realizada.

Além do passo a passo das ações de manutenção, o documento deve conter as seguintes informações:

  • Serviços que serão realizados
  • Data em que os serviços serão realizados
  • Responsáveis pela execução dos serviços (nome, cargo, função e contato)
  • Riscos envolvidos nas tarefas
  • Recursos necessários para a execução dos serviços (peças, ferramentas, materiais)
  • Quanto tempo será gasto em cada serviço
  • Custo de cada serviço, custo por unidade e o custo total
  • Máquinas, dispositivos e ferramentas necessárias

4 – Programe serviços de forma automática e otimizada

Integre todos os dados sobre os ativos (funcionamento, falhas, manutenções já realizadas) em uma solução para otimização de planejamento e programação de serviços de manutenção. O sistema deve analisar, simultaneamente, as necessidades de produção, as prioridades de manutenção, as diretrizes de planejamento e as restrições de uso. A partir dessas informações, o sistema fornece uma série de sugestões para otimizar a programação e a execução dos serviços, contribuindo para atingir a excelência em produtividade, eficiência operacional e segurança.

5 -Registre todas as ações

Relatórios devem ser elaborados após cada etapa do programa de manutenção preventiva e essas informações inseridas no sistema automatizado de planejamento. Esses relatórios servem para analisar erros e acertos, registrar peças trocadas, gastos com peças, lubrificantes etc, e o tempo médio de execução das tarefas.

A Atech oferece, por meio da plataforma OKTO, um conjunto de soluções voltadas para a área de gestão de ativos capaz de atender empresas de diversos setores com ferramentas dinâmicas, capazes de operar em nível global. Um desses recursos é a Solução para Planejamento e Programação da Manutenção, que fornece um sistema atualizado de recursos, bem como a gestão de execução das atividades mais críticas. Conheça mais sobre as soluções da Atech para Gestão de Ativos e saiba como podemos ajudá-lo a gerir ativos de maneira eficiente e confiável.[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]

Receba nossos conteúdos

Preencha seu email e receba nossos conteúdos sobre Gestão de Ativos

Entre em contato

Email: contato@atech.com.br
Tel.: 55 (11) 3103-4600
Rua do Rocio, 313 – 5° andar
Vila Olímpia – São Paulo – SP

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Criado pela Intelligenzia