CategoriesLogística,  Senior,  Transporte

Conheça os benefícios do rastreamento por GPS na cadeia de suprimentos

O rastreamento por GPS e os dados de localização permitem monitorar insumos, pessoas e remessas. A qualquer momento, você pode ver onde algo está localizado, quanto tempo pode demorar para chegar a um destino específico e também a rapidez com que viaja. Na verdade, informação e inteligência nunca foram tão importantes quanto agora para o desenvolvimento dos processos empresariais. As constantes mudanças do mercado, que sofre influência também da inovação tecnológica, afetarão diretamente o futuro da logística e da cadeia de suprimentos.  

Combine informações com plataformas avançadas de análise e gestão da logística, e você poderá tirar proveito de informações mais precisas e preditivas. E o que isso tem a ver com a cadeia de suprimentos? A resposta é tudo. 

Hoje todas as informações estão disponíveis na palma da mão – no seu smartphone, o que significa que você também pode acessar os sistemas e informações necessárias de qualquer lugar e a qualquer momento. 

Ainda é possível acessar sistemas GPS a partir de um computador convencional ou de um terminal de trabalho, mas agora você tem a opção da mobilidadeA mobilidade revolucionou tudo, especialmente em relação às operações da cadeia de suprimentos. As decisões podem ser tomadas em tempo real, com absoluta precisão e confiabilidade, em qualquer lugar. 

Os benefícios do rastreamento por GPS  

Os benefícios são inúmeros, mas vamos nos concentrar em como o seu uso pode otimizar a logística do transporte. 

1- Melhoria da gestão da frota

É possível gerenciar sua frota em tempo real por meio de dados de localização. Pense nisso como uma linha direta de comunicação, onde você pode fazer ajustes para melhorar a eficiência, os horários de chegada e muito mais. 

2- Maior segurança e desempenho do motorista

Até que os veículos autônomos sejam a principal forma de transporte, a responsabilidade pela direção continua sendo dos motoristas humanos. Isso significa que sua segurança, desempenho e comportamento são fundamentais para um negócio bem-sucedido. Se um motorista adormece ao volante, se afasta da estrada e causa um acidente, será um prejuízo certo para seus negócios. Os bens serão perdidos, a reputação da empresa será manchada e os equipamentos e recursos serão danificados. 

Um rastreamento constante incentiva os motoristas a serem seguros e responsáveis e, quando não são, você terá a oportunidade de lembrá-los. Você também pode criar um sistema de fidelidade que incentive a boa direção, porque você tem mais supervisão sobre quem dirige certo ou errado. 

3- Melhor segurança

Em transporte, distribuição e logística, há muito em jogo. Se um veículo, uma remessa completa ou mesmo parte de uma entrega for roubada, as perdas equivalem a mais do que itens materiais e seu valor. A reputação da sua empresa é afetada, seus clientes perdem dinheiro e, em alguns casos, seus motoristas ou funcionários podem até estar em perigo. 

Sistemas avançados de GPS podem ser usados para monitorar sua frota e muito mais. Eles também podem ser programados para enviar alertas quando algo estranho acontecer, oferecendo tempo suficiente para se comunicar com um motorista ou tomar uma ação se algo estiver errado. Quanto mais rápido você reagir a uma possível ameaça ou ataque, menos danos ocorrerão.  

4- Melhor eficiência operacional

Na maioria dos casos, os sistemas modernos de GPS e suas ferramentas de software relacionadas são altamente automatizados. Você não precisa monitorá-los constantemente; em vez disso, você receberá notificações quando algo exigir sua atenção. Essa configuração elimina a necessidade de controlar constantemente todas as operações, mas ao mesmo tempo oferece oportunidades diretas de microgerenciamento mais informadas e assertivas. 

Essa tecnologia também melhora a eficiência e a experiência dos motoristas. Eles podem ver informações sobre suas rotas, como áreas de congestionamento, acidentes e locais de diversão. É uma ferramenta essencial para otimizar a maneira como eles dirigem. 

Além disso, são necessários menos recursos administrativos, pois as ferramentas de rastreamento de veículos fornecem exatamente as informações e relatórios que anteriormente seriam uma tarefa rotineira dos colaboradores.  

5- Análise de custos mais detalhada

Os custos de combustível podem muito altos, especialmente com os preços atuais, por isso é essencial reduzir o uso de veículos da empresa para reduzir o consumo. Você não deseja que os motoristas levem seu veículo comercial ou de trabalho para uma viagem pessoal, por exemplo. Quando estão na estrada, você também deseja que eles façam a rota mais eficiente possível para reduzir a quantidade de combustível usada e os custos de reabastecimento na estrada. 

As ferramentas de rastreamento por GPS podem ajudá-lo a fazer exatamente isso. Você pode controlar maus hábitos, consumo de combustível e custos e fazer ajustes para atender a objetivos específicos. Você quer que um motorista gaste o mínimo possível de combustível? Calcule exatamente quanto combustível é necessário para uma viagem e se comunique com o motorista sobre como esse objetivo está sendo alcançado ao longo do percurso, fazendo pequenos ajustes em tempo real. 

 6- Total visibilidade e transparência

Mais controle e supervisão e mais informações significarão maior transparência em toda a operação. Você sabe exatamente o que seus motoristas estão fazendo, onde estão, onde estão localizadas as remessas e as mercadorias e quais serão os resultados de cada sistema, não apenas no transporte, mas em toda a cadeia de suprimentos. Você pode monitorar tudo, começando na linha de produção, até que as mercadorias sejam entregues a um parceiro ou cliente. 

CategoriesLogística,  Pro,  Transporte

Saiba o que deve ter uma rede eficiente para a cadeia de suprimentos

A logística exerce a função de responder pela movimentação de materiais, no ambiente interno e externo da empresa – a chamada cadeia de suprimentos, desde a chegada da matéria-prima até a entrega do produto final ao cliente. Suas atividades podem ser distribuídas da seguinte forma: 

Atividades primárias 

Essenciais ao cumprimento da função logística, contribuem com o maior montante do custo total da logística. 

  • Transporte: refere-se aos meios utilizados para movimentar os produtos até os clientes que podem ser via rodoviária, ferroviária, aeroviária e marítima. O gerenciamento desta atividade é de grande importância, em virtude do peso desse custo em relação ao total do custo da logística.  
  • Gestão de estoques: dependendo do setor em que a empresa atua e da sazonalidade, é necessário um nível mínimo de estoque que aja como amortecedor entre oferta e demanda.  
  • Processamento de pedidos: determina o tempo necessário para a entrega de bens e serviços aos clientes. 

Atividades secundárias 

Exercem a função de apoio às atividades primárias na obtenção de níveis de bens e serviços requisitados pelos clientes, a saber: 

  • Armazenagem: envolve as questões relativas ao espaço necessário para estocagem dos produtos. 
  • Manuseio de materiais: refere-se à movimentação dos produtos no local de armazenagem. 
  • Embalagem de proteção: sua finalidade é proteger o produto. 
  • Programação de produtos: compreende programar, quando da necessidade de produção e seus respectivos itens da lista de materiais. 
  • Manutenção de informação: exige uma base de dados para o planejamento e o controle da logística. 

E como você irá garantir a eficiência e visibilidade de todos esses processos logísticos, de forma integrada e com altos níveis de rastreabilidade – desde a produção até a entrega do produto final? A Logística 4.0, com a proposta de integrar toda a cadeia de suprimentos, é apenas o início – você está pronto para a próxima geração da governança em processos logísticos globais, a #LogísticaNxT? 

Do ponto de vista dos líderes da cadeia de suprimentos, é muito importante reconhecer que criar uma rede de fornecedores para trocar informações visando a redução de perdas e otimização dos processos operacionais no fornecimento de produtos e serviços pode determinar a eficiência e a eficácia de sua cadeia de suprimentos. As redes são críticas para a criação de valor; elas se tornam o sistema de registro em um mundo de colaboração entre empresas. 

Segundo dados do Banco Mundial, de 13% a 35% das cargas não atendem aos requisitos de qualidade esperados. O número é apenas um exemplo de como a falta de visibilidade nos processos logísticos pode gerar prejuízo devido à falta de controle. 

As organizações precisam de dados para tomar as melhores decisões. Com base nisso, as soluções OKTO para Logística fornecem os dados de que você precisa para otimizar a gestão de processos logísticos, garantindo confiabilidade, segurança e alto desempenho com a integração de sistemas industriais, administrativos e logísticos. 

Com sistemas de monitoramento e rastreamento conectados e velozes para transações praticamente imediatas e transparentes de ponta a ponta, a plataforma OKTO coloca sua empresa no caminho da #LogísticaNXT, permitindo: 

  • Incorporar dados de fontes internas e externas a uma plataforma única, consolidando as informações 
  • Automatizar processos, o que economiza tempo e custos administrativos 
  • Fazer o monitoramento preventivo de riscos contra atrasos na remessa e erros logísticos 
  • Montar uma estrutura de integração para operacionalizar seus processos de negócios e gerar valor comercial 
  • Ter visibilidade e informações através da rede para uma melhor compreensão do estado dos processos 
  • Vincular informações a sistemas de análise avançados e, em seguida, otimizá-las para fornecer insights ao centro de controle para uma análise mais aprofundada e um gerenciamento proativo 
  • Ter fácil visualização e governança dos dados e cumprir os padrões de privacidade e segurança na nuvem 

Orquestrando fluxos e movimentações 

habilidade de orquestrar todos os fluxos e movimentações ao longo da cadeia logística figura como uma das principais vantagens competitivas e tem se tornado uma competência fundamental para empresas em diferentes setores. 

Empresas que dominam eficientemente a própria cadeia logística sabem que os pontos mais críticos são a capacidade de visualizar todos os fluxos e processos, bem como, de identificar rapidamente os pontos de melhoria, continuamente eliminando ineficiências e otimizando sua produtividade. 

No longo prazo, empresas que atingem os mais altos patamares de excelência operacional em seus processos logísticos são aquelas que investem no desenvolvimento de uma cultura de excelência, conseguindo articular pessoas, processos e tecnologia em prol da eficiência da cadeia logística.  

Com a adoção de uma plataforma tecnológica como o conjunto de soluções único para gestão de ativos e logística – a plataforma OKTO – desenvolvido pela Atech, é possível conectar nuvem e #LogísticaNxT para compor a logística colaborativa, onde as empresas são parceiras e compartilham recursos e formam uma rede, “unindo forças para identificar conjuntamente oportunidades de inovação, redução de custos logísticos e, claro, aumento da eficiência operacional”, destaca Jefferson Castro, gerente de Produto da Atech. 

CategoriesBeginner,  Excelência Operacional,  Logística,  Transporte

Lean e logística: conheça cinco formas de otimizar o transporte

Atualmente, os líderes de logística, assim como todos os líderes de negócio, estão sendo pressionados a reduzirem custos e geralmente a primeira estratégia é negociar preços com as transportadoras e fornecedores de logística. Mas, além dessa negociação, é possível reduzir custos, e muito, adotando uma filosofia de logística Lean, identificando e eliminando desperdícios em toda a cadeia.

A filosofia Lean busca eliminar desperdícios de tempo, alterar processos ineficientes – que resultam em retrabalhos e movimentações desnecessárias –, melhorar a gestão de estoques e armazéns e otimizar o transporte de mercadorias, tornando a logística mais ágil, produtiva e competitiva.

Para se trabalhar com uma logística Lean, ou logística enxuta, é preciso que a empresa entenda a necessidade de adotar uma série de ações, entre elas:

  • Mapear e otimizar os processos
  • Eliminar as principais falhas
  • Reduzir (ou eliminar) os estoques
  • Diminuir a movimentação dos materiais
  • Mudar o layout (se necessário)
  • Agregar soluções para os clientes (por meio do atendimento das necessidades)
  • Otimizar e adequar os fluxos de entrega
  • Investir em métodos e tecnologias

O objetivo dessas ações é evitar desperdícios como, por exemplo:

  • Estoques de segurança e pulmão devido à ineficiência, falta de confiabilidade nos processos, variação errática e artificial da demanda
  • Transportes a longas distâncias devido à falta de planejamento de rotas, equipamentos subutilizados na planta pela inexistência de uma adequada engenharia de processos, pagamento de taxas por atraso de entrega devido a não utilização de janelas de entregas programadas
  • Áreas de estoques desnecessários, investimento em sistemas de armazenagem caros devido aos níveis elevados de estoque
  • Esperas com subutilização da mão de obra, equipamentos, materiais parados
  • Embalagens sendo solicitadas além da necessidade, ou transportando simplesmente “ar”, além de desperdícios por embalagens danificadas
  • Retrabalhos

Como otimizar o transporte

Segundo um estudo da Fundação Dom Cabral, as organizações brasileiras chegam a gastar mais de 12% dos seus faturamentos brutos com custos logísticos. Então, para manter a competitividade, é cada vez mais fundamental otimizar o transporte, o que é possível com a adoção da logística Lean.

Veja como a filosofia Lean pode ajudar a reduzir esses custos:

1 – Eliminando desperdícios e erros

 A primeira atitude a ser tomada é eliminar desperdícios e erros. Na logística, é comum haver falhas, e elas têm um custo. Para evitar desperdícios como tempo de espera, falta de manutenção de ativos ou até mesmo por não contar com sistemas de gestão ou pessoal especializado, os líderes devem identificar a fonte dos problemas e melhorar continuamente suas operações.

Uma vez identificados desperdícios no fluxo de valor atual, é preciso adotar a criação de fluxos contínuos como um princípio fundamental para a proposição de melhorias num estado futuro. E, se os desperdícios continuam acontecendo, provavelmente há um problema sistêmico no processo e a metodologia Lean é uma ótima ferramenta para detectar e eliminar esses problemas – e para otimizar custos.

2 – Oferecendo uma visão centrada no cliente

É importante pensar nas necessidades e demandas dos clientes no momento de criar e implantar uma estratégia de transporte, que deve ser entendida por todos os envolvidos e atender às expectativas da empresa e do cliente, com um sistema puxado que trabalhe de forma mais sincronizada possível com o consumo real. Afinal, os clientes não aceitam mais pagar pelas ineficiências e pelos custos desnecessários nos produtos ou serviços, independentemente de qual segmento a empresa atue.

Assim, a empresa deve buscar reduzir seu lead time, os estoques, as filas e esperas de caminhões, ao integrar, de forma Lean, fornecedores, produção e centros de distribuição. E, finalmente, é fundamental escutar o que os clientes têm a dizer após cada serviço realizado. Quando o feedback for positivo, mantenha a estratégia e encontre pontos de melhoria. Se for negativo, aproveite para aprender com os erros e evitar desperdícios.

3 – Estabelecendo métricas de desempenho

Os fornecedores de transporte certamente devem ser considerados como parceiros estratégicos já que, para implantar a filosofia Lean, é preciso construir relacionamentos de longo prazo, baseados na busca de melhoria contínua. Quando as organizações constroem relacionamentos positivos e duradouros, o resultado certamente será igualmente positivo e benéfico, resultando em uma estratégia de transporte mais enxuta.

4 – Entendendo a estrutura de custos do transporte

Para conhecer e mensurar corretamente os custos envolvidos no transporte de uma mercadoria, é preciso analisar todo o processo de produção esse serviço, identificando as suas etapas e os seus fluxos operacionais.

As etapas do processo de transporte, em linhas gerais, são:

Etapa 1 – Serviços de coleta de mercadorias

Etapa 2 – Serviços de terminal de cargas (armazenagem)

Etapa 3 – Transferência de mercadorias

Etapa 4 – Distribuição ou entrega de mercadorias

Avaliando a complexidade e a produtividade em cada uma dessas etapas, é possível eliminar desperdícios e reduzir custos. Quanto mais complexo o esquema operacional para movimentar a carga, maior será o número de atividades dentro de cada etapa (carregamento, descarregamento, manuseios, conferências, processamento de documentos etc.), realizadas para completar a operação.

Além desses custos embutidos no processo, também temos custos relacionados ao controle da frota de transporte, como:

  • Manutenções da frota
  • Consumo de combustível
  • Treinamento dos motoristas
  • Seguro para a frota
  • Documentação e impostos
  • Depreciação da frota
  • Frota ociosa
  • Roteirização ineficiente

5 – Implantando uma eficiente gestão de logística

Para implantar uma estratégia de logística Lean, é preciso ter visibilidade total da cadeia logística, desde a produção até a gestão do transporte das mercadorias, com agendamento de entregas e coletas de forma autônoma, capacidades, entre outras, oferecidas pela solução OKTO para logística desenvolvida pela Atech.

Em uma economia cada vez mais competitiva, todos os envolvidos no setor estão buscando reduzir os custos com armazenagem e transporte dos produtos. Objetivo que só poderá ser alcançado com maior visibilidade e rastreabilidade de todos os processos que envolvem o fluxo das mercadorias com a implementação de inovadoras soluções para a gestão e governança, que vão permitir adotar a logística Lean.