CategoriesConexões Inteligentes,  Pro

Como as empresas estão acelerando a revolução da Internet das Coisas

Com a expansão da Internet das Coisas (IoT – Internet of Things) em todos os setores, os dados estão se tornando a moeda da inovação. As organizações têm quase que uma obrigação de adotar tecnologias rapidamente, desenvolver competências digitais e oferecer novos serviços de valor agregado que atendam a seu ecossistema mais amplo. A manufatura é um setor em que a IoT tem um impacto transformador, mas também exige que muitas empresas se unam para que a tecnologia seja eficaz. 

Para garantir uma manufatura baseada em conexões inteligentes é preciso entender que a responsabilidade por essa transformação é de todas as frentes de uma organização, e não apenas da equipe de TI, manufatura ou da Diretoria/Presidência. Todas as áreas devem ser envolvidas para identificar as reais necessidades e viabilidade para a transformação.  

Muitas vezes é necessário começar pequeno e escalar as soluções aos poucos, buscar parcerias e alianças estratégicas, se espelhar em cases de sucesso, identificar as camadas e profundidade do controle das operações e realizar testes para corrigir os erros com rapidez. O conjunto de tecnologias envolvidas na IoT permitirá às empresas uma visão granular de objetos, pessoas e operações, bem como gerar ações com maior valor agregado. 

Líderes de negócios enfrentam hoje diversos desafios: economizar recursos, aumentar a lucratividade, reduzir o desperdício, automatizar para prever erros e atrasos, acelerar a produção para trabalhar em função da cadeia de valor, digitalizar fluxos que eram feitos no papel, conseguir intervir rapidamente em casos de problemas da produção, e muito mais. A necessidade é tão grande que a maior parte dos investimentos feitos em IoT pela indústria são relacionados a operação, dos processos à logística, e gestão do inventário. 

E como as empresas estão acelerando essa revolução? Aproveitando as capacidades de: 

Conexões inteligentes  

Permitem a conectividade e comunicação segura entre máquinas e equipamentos nos processos produtivos que trazem transparência e controle na produção jamais imaginados, dados reais a todo momento, facilitando planejamentos e tomadas de decisão. 

Troca de dados 

Clientes e fornecedores podem trocar informações em tempo real para antecipar demandas e proporcionar equilíbrio aos processos produtivos. 

Sensoriamento remoto e manutenção 

Sistemas com sensores ligados a conexões inteligentes conseguem monitorar e detectar pequenos desvios de funcionamento do maquinário, permitindo que o profissional antecipe suas ações. Se todo o sistema industrial está conectado e pode ser monitorado, é possível programar alertas, dar o suporte às máquinas antes de falharem e, ainda, monitorar em tempo real e diagnosticar de forma mais rápida os problemas, mesmo que os engenheiros não estejam no chão da fábrica. Com essa visão, abre-se uma oportunidade para os empreendedores na criação de serviços de manutenção inteligente e prevenção de falhas na linha de produção. Agora, com os sensores instalados nas fábricas e as análises feitas praticamente em tempo real, é possível fazer a manutenção preditiva dos aparelhos. 

Customização 

A IoT oferece opções de customização, onde o consumidor pode interagir com aplicativos e escolher opções mais adequadas, resultando em personalização de produtos e embalagens. O alto grau de personalização, em uma escala de produção, também é uma das mudanças que vai impactar diretamente a indústria nos próximos anos. Durante um tempo, ter algumas cores disponíveis do mesmo tênis já era o suficiente; agora nós queremos customizá-los do nosso jeito. Uma evolução disso é a capacidade do consumidor interagir com a marca e sua linha de produção por meio de plataformas digitais que personalizam os produtos, diminuem a distância entre produção e entrega e possibilitam a cocriação. Em várias indústrias, isso já acontece, mas a capacidade de escalar e personalizar no mesmo nível de uma produção massiva ainda é um desafio que a automação industrial se propõe a resolver. 

Integração 

Permite a integração entre pessoas e máquinas em trabalhos mais complexos, em que o robô executa a parte mais difícil, enquanto o funcionário atua em complemento. 

Impressão 3D 

A manufatura aditiva possibilita a produção de peças via impressoras 3D, que moldam o produto por meio de adição de matéria-prima, sem o uso de moldes físicos. 

Simulação 

Por meio de simulação, os operadores testam e otimizam o processo e produtos ainda na fase de concepção, diminuindo os custos e o tempo de criação. 

Cloud 

O recurso da computação na nuvem proporciona a digitalização de produtos e processos produtivos. 

Big Data 

Por meio do Big Data e ferramentas de Analytics o sistema identifica falhas nos processos, ajuda a otimizar a qualidade da produção, economiza energia e torna mais eficiente a utilização de recursos. 

TI + Manufatura 

Os sistemas de tecnologia da informação (TI), juntas com as tecnologias operacionais (TO), integram uma cadeia de valor automatizada, por meio da digitalização de dados. 

Realidade Virtual / Realidade Aumentada 

Integração simultânea do ambiente real e virtual por meio da realidade aumentada, tecnologia que proporciona a exibição de imagens virtuais no ambiente real. 

Segurança de dados 

Com a implementações de mais soluções de IoT, é preciso investir em cibersegurança, pois como há muitos equipamentos conectados e a internet é um ambiente aberto, são necessários não só procedimentos de governança de TI, mas de padrões que garantam uma rede segura. 

CategoriesLogística,  Senior,  Transporte

Conheça os benefícios do rastreamento por GPS na cadeia de suprimentos

O rastreamento por GPS e os dados de localização permitem monitorar insumos, pessoas e remessas. A qualquer momento, você pode ver onde algo está localizado, quanto tempo pode demorar para chegar a um destino específico e também a rapidez com que viaja. Na verdade, informação e inteligência nunca foram tão importantes quanto agora para o desenvolvimento dos processos empresariais. As constantes mudanças do mercado, que sofre influência também da inovação tecnológica, afetarão diretamente o futuro da logística e da cadeia de suprimentos.  

Combine informações com plataformas avançadas de análise e gestão da logística, e você poderá tirar proveito de informações mais precisas e preditivas. E o que isso tem a ver com a cadeia de suprimentos? A resposta é tudo. 

Hoje todas as informações estão disponíveis na palma da mão – no seu smartphone, o que significa que você também pode acessar os sistemas e informações necessárias de qualquer lugar e a qualquer momento. 

Ainda é possível acessar sistemas GPS a partir de um computador convencional ou de um terminal de trabalho, mas agora você tem a opção da mobilidadeA mobilidade revolucionou tudo, especialmente em relação às operações da cadeia de suprimentos. As decisões podem ser tomadas em tempo real, com absoluta precisão e confiabilidade, em qualquer lugar. 

Os benefícios do rastreamento por GPS  

Os benefícios são inúmeros, mas vamos nos concentrar em como o seu uso pode otimizar a logística do transporte. 

1- Melhoria da gestão da frota

É possível gerenciar sua frota em tempo real por meio de dados de localização. Pense nisso como uma linha direta de comunicação, onde você pode fazer ajustes para melhorar a eficiência, os horários de chegada e muito mais. 

2- Maior segurança e desempenho do motorista

Até que os veículos autônomos sejam a principal forma de transporte, a responsabilidade pela direção continua sendo dos motoristas humanos. Isso significa que sua segurança, desempenho e comportamento são fundamentais para um negócio bem-sucedido. Se um motorista adormece ao volante, se afasta da estrada e causa um acidente, será um prejuízo certo para seus negócios. Os bens serão perdidos, a reputação da empresa será manchada e os equipamentos e recursos serão danificados. 

Um rastreamento constante incentiva os motoristas a serem seguros e responsáveis e, quando não são, você terá a oportunidade de lembrá-los. Você também pode criar um sistema de fidelidade que incentive a boa direção, porque você tem mais supervisão sobre quem dirige certo ou errado. 

3- Melhor segurança

Em transporte, distribuição e logística, há muito em jogo. Se um veículo, uma remessa completa ou mesmo parte de uma entrega for roubada, as perdas equivalem a mais do que itens materiais e seu valor. A reputação da sua empresa é afetada, seus clientes perdem dinheiro e, em alguns casos, seus motoristas ou funcionários podem até estar em perigo. 

Sistemas avançados de GPS podem ser usados para monitorar sua frota e muito mais. Eles também podem ser programados para enviar alertas quando algo estranho acontecer, oferecendo tempo suficiente para se comunicar com um motorista ou tomar uma ação se algo estiver errado. Quanto mais rápido você reagir a uma possível ameaça ou ataque, menos danos ocorrerão.  

4- Melhor eficiência operacional

Na maioria dos casos, os sistemas modernos de GPS e suas ferramentas de software relacionadas são altamente automatizados. Você não precisa monitorá-los constantemente; em vez disso, você receberá notificações quando algo exigir sua atenção. Essa configuração elimina a necessidade de controlar constantemente todas as operações, mas ao mesmo tempo oferece oportunidades diretas de microgerenciamento mais informadas e assertivas. 

Essa tecnologia também melhora a eficiência e a experiência dos motoristas. Eles podem ver informações sobre suas rotas, como áreas de congestionamento, acidentes e locais de diversão. É uma ferramenta essencial para otimizar a maneira como eles dirigem. 

Além disso, são necessários menos recursos administrativos, pois as ferramentas de rastreamento de veículos fornecem exatamente as informações e relatórios que anteriormente seriam uma tarefa rotineira dos colaboradores.  

5- Análise de custos mais detalhada

Os custos de combustível podem muito altos, especialmente com os preços atuais, por isso é essencial reduzir o uso de veículos da empresa para reduzir o consumo. Você não deseja que os motoristas levem seu veículo comercial ou de trabalho para uma viagem pessoal, por exemplo. Quando estão na estrada, você também deseja que eles façam a rota mais eficiente possível para reduzir a quantidade de combustível usada e os custos de reabastecimento na estrada. 

As ferramentas de rastreamento por GPS podem ajudá-lo a fazer exatamente isso. Você pode controlar maus hábitos, consumo de combustível e custos e fazer ajustes para atender a objetivos específicos. Você quer que um motorista gaste o mínimo possível de combustível? Calcule exatamente quanto combustível é necessário para uma viagem e se comunique com o motorista sobre como esse objetivo está sendo alcançado ao longo do percurso, fazendo pequenos ajustes em tempo real. 

 6- Total visibilidade e transparência

Mais controle e supervisão e mais informações significarão maior transparência em toda a operação. Você sabe exatamente o que seus motoristas estão fazendo, onde estão, onde estão localizadas as remessas e as mercadorias e quais serão os resultados de cada sistema, não apenas no transporte, mas em toda a cadeia de suprimentos. Você pode monitorar tudo, começando na linha de produção, até que as mercadorias sejam entregues a um parceiro ou cliente. 

custos na gestão de ativos
CategoriesGestão de Ativos,  Pro

Conheça 6 formas de reduzir custos na gestão de ativos

Em todos os setores industriais, a necessidade de monitorar a condição dos ativos em tempo real e predizer falhas com semanas ou meses de antecedência tem impulsionado tecnologias avançadas de automatização e análise de dados, mas o caminho de implementação dessas soluções nem sempre é claro. 

A implantação de um sistema de gestão de ativos passa por algumas etapas, que incluem: 

  • Definição dos objetivos do gerenciamento de ativos 
  • Priorização de ativos – central de despesas 
  • Modelagem de gestão de cada ativo (criticidade) 
  • Indicadores de desempenho para análise 
  • Projeto de infraestrutura e implantação 
  • Medição, coleta, gravação e análise 
  • Plano de ação – procedimento padrão 

Abaixo, confira algumas tendências e tecnologias que continuarão avançando para proporcionar novas formas de melhorar a produtividade e reduzir custos na gestão de ativos: 

1 – Segurança em primeiro lugar 

A redução dos custos de manutenção e do tempo de inatividade é frequentemente associada a uma redução na segurança. Na verdade, é o contrário. Reduzir os custos de manutenção é gerenciar sua estratégia de manutenção e planejar com mais eficiência, o que significa otimizar o agendamento de ordens de serviço, o que aumentará bastante a segurança no ambiente de trabalho. 

2 – Evitar a manutenção corretiva 

A manutenção corretiva consiste em substituir peças ou componentes que se desgastaram ou falharam e que levaram a máquina ou o equipamento a uma parada, por falha ou pane em um ou mais componentes. É o conjunto de serviços executados nos equipamentos com falha. 

Normalmente, os reparos são executados sem planejamento e em caráter emergencial. As horas extras do pessoal de manutenção são grandes, contribuindo em desgaste físico e mental, com condições desfavoráveis de trabalho. Os índices de acidentes também são altos, devido ao trabalho sob pressão de tempo e necessidade de colocar a máquina em condições de produção. 

 Se essa estratégia de manutenção for usada como a principal, haverá um alto impacto das atividades de manutenção não planejadas e do estoque de peças de reposição.  

3 – Coletar e analisar dados 

Grande parte da implementação de um programa de manutenção preventiva bem-sucedido em seus negócios é entender os dados de falha de manutenção e usá-los efetivamente como KPI. Para alcançar seus objetivos, você deve se concentrar em uma métrica específica para poder medir seu esforço e resultados e verificar posteriormente se alcançou o objetivo. 

No entanto, a maioria dos departamentos de manutenção ainda acha difícil fazer relatórios. A razão mais óbvia para isso é o excesso de dados. Coletamos muitas informações, onde as pessoas se perdem rapidamente e começam a analisar dados que não são realmente importantes ou relevantes. 

As soluções para gestão de ativos da plataforma OKTO proporcionam o controle de ponta a ponta do processo de engenharia de manutenção, visando a melhor experiência dos usuários, de forma simples e integrada, e a máxima disponibilidade dos ativos – ideal para enfrentar os desafios de um mundo cada vez mais conectado. 

4 – Gerenciar as peças de reposição 

Como gerente de manutenção, suas tarefas diárias dependem da capacidade de controlar os custos de manutenção e minimizar o tempo de inatividade. Em qualquer setor com muitos ativos, você deve avaliar a condição do equipamento e garantir que sua instalação funcione com eficiência. Uma das melhores maneiras de atingir esses objetivos é desenvolver uma abordagem estratégica para organizar suas peças de reposição. Além disso, a incapacidade de otimizar seu inventário aumenta os custos. 

5 – Avaliar a criticidade dos ativos 

Conhecer profundamente as características e criticidade dos equipamentos utilizados é fundamental para ter total controle sobre a manutenção. Dessa forma, você pode identificar quais são os que precisam de uma atenção maior porque possuem características mais frágeis ou porque recebem uma carga de trabalho maior. 

6 – Manter um histórico dos serviços de manutenção 

Tenha tudo registrado na plataforma de gestão de ativos e mantenha um arquivo com todos os dados das manutenções realizadas nos equipamentos. Dessa forma, você saberá o tempo necessário para cada reparo, quais são os equipamentos que apresentam mais problemas e qual é o impacto no ritmo da linha de produção. Identifique quais são os equipamentos que apresentam o maior custo de manutenção em determinado período. Dessa forma, avalie se não é possível substituí-los por equipamentos mais modernos ou de outra marca. 

Ao final, com a implementação de uma plataforma de gestão de ativos completa, como a OKTO, desenvolvida pela Atech, a sua empresa percebe imediatamente as seguintes vantagens 

  • Garante a disponibilidade dos ativos, reduzindo custos e o tempo de parada 
  • Reduz custos com o período de inatividade gerado por manutenções e remediação de falhas 
  • Otimiza a gestão da execução contando com suporte à alocação de custos de gestão de ativos 
  • Aproveita os benefícios de uma solução única e integrada a todo o seu ambiente tecnológico 
CategoriesImprensa Corporativa – Gestão de Ativos

Agricultura 4.0: novas tecnologias promovem avanços na produção e na manutenção no agronegócio

Em busca de mais produtividade, o uso da tecnologia aliada ao meio ambiente, um dos itens que define a agricultura 4.0, está permitindo que os negócios no campo otimizem recursos naturais, equipamentos e processos no agronegócio.

Um exemplo de como essas iniciativas voltadas para a agricultura 4.0 devem crescer nos próximos anos é o programa BNDES IoT, por meio do qual o banco estatal oferece uma linha de crédito de R$ 100 milhões em recursos para financiar projetos piloto de Internet das Coisas, no qual o agronegócio deve ser um dos maiores beneficiados devido ao seu potencial de desenvolvimento para essa tecnologia.

Além disso, o País já conta com uma série de empresas que oferecem tecnologias específicas para atender às necessidades do agronegócio e prepará-lo para caminhar rumo à Agricultura 4.0, vencendo os desafios enfrentados de acordo com os diferentes níveis de maturidade de cada negócio quando o assunto é a modernização.

Neste cenário, a Atech, empresa do Grupo Embraer especializada no desenvolvimento de soluções e tecnologias para apoio à tomada de decisão, oferece, por meio da plataforma OKTO, um portfólio de softwares e serviços voltados para ajudar o setor agrícola a obter mais eficiência, agilidade e organização, oferecendo desde serviços voltados para melhoria contínua até sistemas avançados para modernizar o negócio e dar suporte à busca por inovação.

Segundo o diretor da área de Negócios Corporativos da Atech, Marcelo Eskenazi, apesar de ter seus benefícios bastante claros e diretos, o caminho rumo à Agricultura 4.0 ainda é nebuloso para muitos tomadores de decisão, e é neste cenário que a Atech busca se diferenciar.

“Especialmente neste segmento, em que a otimização dos processos e o envolvimento das pessoas são fatores críticos de sucesso é recomendado que a jornada de adoção de tecnologias esteja integrada a uma visão maior. É preciso mapear as necessidades focando sempre na busca por excelência operacional e balancear os esforços dentro de um plano bem estabelecido e gerenciado. A plataforma OKTO atende as necessidades de todos os estágios dessa jornada, seja por meio da implementação de metodologias ágeis e lean, seja na implantação de soluções de conectividade e sistemas para dar mais inteligência e agilidade na tomada de decisão por meio da análise de dados no campo”, explica Eskenazi.

Agricultura 4.0 e a busca por confiabilidade

Para isso, a Atech conta com o apoio de parceiros técnicos que ajudam no desenvolvimento de sistemas voltados para a Agricultura 4.0, como a Compass, especializada na difusão do conhecimento em engenharia da confiabilidade e gestão de ativos, e a Desh Tecnologia, especializada no desenvolvimento de soluções de conectividade, como redes MESH.

Unindo a experiência no desenvolvimento de soluções à análise da confiabilidade de ativos, a Compass em parceria com a Atech oferece o sistema Orion, integrado à plataforma OKTO para realizar a Gestão de Ativos. O sistema por meio da análise de dados coletados dos equipamentos agrícolas, auxilia no planejamento de manutenções preventivas, reduzindo custos, e na identificação de problemas que possam afetar a segurança operacional e ambiental de maneira eficaz.

A conectividade é fundamental para esses avanços. E, neste contexto, a Atech se uniu à Desh Tecnologia, empresa investida pelo Fundo Aeroespacial liderado pela Embraer, para o desenvolvimento de um software de gestão de Redes MESH, tecnologia ideal para solucionar o desafio de conectividade no campo, em que redes celulares e WiFi não são alternativas.

Seguras, confiáveis e de fácil implementação, as redes MESH vão dar a cobertura e a confiabilidade necessárias para dar apoio aos avanços da agricultura 4.0.

Para Adriano S. Yamaoka, CEO da Desh Tecnologia, existe uma escassez de conectividade no campo e, em muitos casos, quando existe conectividade para uma área mais abrangente, o custo é muito elevado. “A proposta da Desh por meio das redes MESH é oferecer uma tecnologia que englobe características técnicas diferenciadas para entregar boa conectividade com bom custo-benefício. Isso na agricultura 4.0 vai ser essencial, pois o acesso remoto e a análise dos dados coletados é o que vai levar um grande valor para as aplicações, agregando produtividade na colheita e ganho de energia”, explica Yamaoka.

Além da tecnologia desenvolvida em parceria com a Atech por meio do software de Gestão de Redes MESH, a empresa também está trabalhando no desenvolvimento de um sistema de monitoramento remoto de condição.

 Transformando dados brutos em insights

A geração de imagens de satélite associada à coleta de dados do campo também é uma das características da Agricultura 4.0 que pode trazer avanços importantes na tomada de decisão, impulsionando ações preventivas que podem reduzir custos para os produtores rurais. É neste campo que a VISIONA, joint-venture entre a Embraer e a Telebras, atua, por meio da concepção de sistemas espaciais. “Temos acompanhado bastante a questão da agricultura 4.0 e as iniciativas do setor, principalmente em função do acordo de cooperação que assinamos com a Embrapa. O que temos visto, no entanto, é uma dificuldade em conectar todo o fluxo desde o planejamento até o escoamento da produção do campo”, explica Cleber Oliveira, diretor de desenvolvimento de negócios da VISIONA.

De acordo com o executivo, a questão da banda larga é uma grande oportunidade para o negócio da empresa. “Temos apoiado principalmente a Embrapa em questões relacionadas ao uso de satélites diretamente, de forma que a conectividade seja resolvida por meio do uso da banda larga no campo. As empresas precisam escoar os dados que coletam, e o satélite é a melhor forma de fazer isso, proporcionando cobertura de 100% no território nacional”, afirma.

No sentido de dar mais inteligência à análise dos dados brutos para gerar insights relevantes para as atividades no campo, a Aquarela, empresa também investida pela Embraer, utiliza Inteligência Artificial e Machine Learning para identificar falhas e pontos de melhoria nas atividades do agronegócio, da preparação do solo à colheita.

custos dos processos produtivos
CategoriesBeginner,  Excelência Operacional,  Melhoria Contínua

Conheça 5 métodos para reduzir custos do processo produtivo

Reduzir custos dos processos produtivos não é uma tarefa fácil, mas é muito importante para o bom desempenho dos negócios. É preciso aumentar a qualidade dos produtos e, ao mesmo tempo, reduzir o tempo e o custo da produção para atrair novos clientes, melhorar o lucro e manter a competitividade. Com uma linha de produção eficiente, uma empresa tem mais produtividade e desperdiça menos tempo e recursos.  

É cada vez mais importante aumentar a produtividade, reduzir os custos dos processos produtivos e aumentar a qualidade. Ao pensar na redução de despesas, é fundamental analisar todos os custos dos processos produtivos e seus impactos na receita para tomar decisões mais assertivas. Na categoria de custo fixo, consideram-se aluguel, serviços de segurança, limpeza e outros serviços recorrentes que se mantêm independentemente da capacidade produtiva. E, nos custos variáveis, por exemplo, consideram-se todos os insumos que fazem parte da linha de produção.  

Quais seriam os métodos mais eficientes para reduzir os custos dos processos produtivos? A resposta não é única, e depende da situação específica da sua empresa. Mas alguns dos métodos abaixo devem se adequar à sua realidade: 

1 – Avaliar os custos  

O primeiro passo para reduzir custos deve ser sempre fazer um balanço e avaliar completamente suas operações atuais. A análise objetiva de cada etapa de produção do seu produto e de processos permitirá compreender melhor cada ponto da cadeia de valor e como oferecer mais por menos. 

2 – Alterações na cadeia de produção 

 Há momentos em que a melhor opção para economizar custos é retornar ao chão de fábrica. Obviamente, um redesenho completo pode não ser necessário. Mas pode haver uma oportunidade para racionalizar o design de um produto ou o design da montagem. A adoção de um sistema de manufatura enxuta é uma maneira altamente eficaz de reduzir os custos de fabricação. Ou você pode descobrir que o design do seu produto pode ser ligeiramente modificado para reduzir o desperdício de material ou o tempo de montagem. 

A metodologia Lean é baseada no uso de apenas o que for necessário para realizar um trabalho ou processo. O Lean, que em português significa “enxuto”, busca reduzir desperdícios e aumentar a produtividade, focando somente nas etapas que vão agregar valor ao produto final.  

O objetivo é conseguir gerir recursos de uma forma mais eficaz e otimizada, liberando tempo, energia e espaço sem comprometer a qualidade do produto e sempre considerando a necessidade do cliente.  

As metodologias ágeis, da qual o Lean faz parte, revê toda a cadeia de produção para localizar os desperdícios e diminuir os gastos excessivos, atualizando e simplificando processos com opções mais flexíveis e automatizadas. Com o enxugamento de processos, a redução de custos é um dos principais benefícios. 

3 – Use métodos ágeis 

Complementar ao Lean – que vai realizar transformações em todos os processos do negócio – os métodos ágeis tornam o processo mais eficiente, interativo e voltado ao cliente. 

4 – Melhorar a gestão de estoques 

É muito importante que o seu estoque esteja em ordem, com visibilidade total na cadeia produtiva de todos os itens fabricadosUma gestão eficiente de estoques deve se preocupar emreduzir ao máximo as quantidades de itens, pois este excedente não agrega valor à sua empresa e faz com que o seu sistema produtivo tenha pontos de ineficiência. 

Para isso, estruture um processo contínuo que alinhe as tarefas dos demais setores da empresa e reduza os excedentes de compras. Uma boa alternativa é automatizar todos estes processos logísticos. 

5– Aumento da produção 

Para algumas empresas de maior porte, o principal método para reduzir os custos do processo produtivo é aumentar as taxas de produção. Embora essa seja uma opção bem conhecida, vale a pena repetir. De fato, empresas maiores que já têm o equipamento e a mão-de-obra em escala podem frequentemente conseguir uma redução substancial de custos e maior lucratividade simplesmente executando lotes maiores de produtos. No entanto, pesquisa e planejamento adequados devem ser feitos com antecedência. Mais estoque pode resultar em custos mais altos de armazenamento e transporte se a operação não for suficientemente enxuta ou se a demanda não existir. 

Não adianta tentar reduzir o custo dos processos produtivos – de acordo com peças individuais, matérias-primas e fornecedores –, procurando soluções de curto prazo por meio da negociação de preços, sem pensar nos processos que podem tornar a produção melhor e mais barata. 

Cortar custos é importante, só que mais importante ainda é pensar a longo prazo, em esforços que agreguem valor ao produto e não somente em questões de momento, que precisam ser constantemente renegociadas e que podem desperdiçar o tempo das empresas. O ideal é observar o produto, analisar dados, funções, históricos, para então pensar em maneiras de executar o trabalho com mais eficiência. Saiba como a Atech pode ajudar a sua empresa a ganhar mais eficiência e reduzir os custos dos processos produtivos.  

CategoriesLogística,  Pro,  Transporte

Saiba o que deve ter uma rede eficiente para a cadeia de suprimentos

A logística exerce a função de responder pela movimentação de materiais, no ambiente interno e externo da empresa – a chamada cadeia de suprimentos, desde a chegada da matéria-prima até a entrega do produto final ao cliente. Suas atividades podem ser distribuídas da seguinte forma: 

Atividades primárias 

Essenciais ao cumprimento da função logística, contribuem com o maior montante do custo total da logística. 

  • Transporte: refere-se aos meios utilizados para movimentar os produtos até os clientes que podem ser via rodoviária, ferroviária, aeroviária e marítima. O gerenciamento desta atividade é de grande importância, em virtude do peso desse custo em relação ao total do custo da logística.  
  • Gestão de estoques: dependendo do setor em que a empresa atua e da sazonalidade, é necessário um nível mínimo de estoque que aja como amortecedor entre oferta e demanda.  
  • Processamento de pedidos: determina o tempo necessário para a entrega de bens e serviços aos clientes. 

Atividades secundárias 

Exercem a função de apoio às atividades primárias na obtenção de níveis de bens e serviços requisitados pelos clientes, a saber: 

  • Armazenagem: envolve as questões relativas ao espaço necessário para estocagem dos produtos. 
  • Manuseio de materiais: refere-se à movimentação dos produtos no local de armazenagem. 
  • Embalagem de proteção: sua finalidade é proteger o produto. 
  • Programação de produtos: compreende programar, quando da necessidade de produção e seus respectivos itens da lista de materiais. 
  • Manutenção de informação: exige uma base de dados para o planejamento e o controle da logística. 

E como você irá garantir a eficiência e visibilidade de todos esses processos logísticos, de forma integrada e com altos níveis de rastreabilidade – desde a produção até a entrega do produto final? A Logística 4.0, com a proposta de integrar toda a cadeia de suprimentos, é apenas o início – você está pronto para a próxima geração da governança em processos logísticos globais, a #LogísticaNxT? 

Do ponto de vista dos líderes da cadeia de suprimentos, é muito importante reconhecer que criar uma rede de fornecedores para trocar informações visando a redução de perdas e otimização dos processos operacionais no fornecimento de produtos e serviços pode determinar a eficiência e a eficácia de sua cadeia de suprimentos. As redes são críticas para a criação de valor; elas se tornam o sistema de registro em um mundo de colaboração entre empresas. 

Segundo dados do Banco Mundial, de 13% a 35% das cargas não atendem aos requisitos de qualidade esperados. O número é apenas um exemplo de como a falta de visibilidade nos processos logísticos pode gerar prejuízo devido à falta de controle. 

As organizações precisam de dados para tomar as melhores decisões. Com base nisso, as soluções OKTO para Logística fornecem os dados de que você precisa para otimizar a gestão de processos logísticos, garantindo confiabilidade, segurança e alto desempenho com a integração de sistemas industriais, administrativos e logísticos. 

Com sistemas de monitoramento e rastreamento conectados e velozes para transações praticamente imediatas e transparentes de ponta a ponta, a plataforma OKTO coloca sua empresa no caminho da #LogísticaNXT, permitindo: 

  • Incorporar dados de fontes internas e externas a uma plataforma única, consolidando as informações 
  • Automatizar processos, o que economiza tempo e custos administrativos 
  • Fazer o monitoramento preventivo de riscos contra atrasos na remessa e erros logísticos 
  • Montar uma estrutura de integração para operacionalizar seus processos de negócios e gerar valor comercial 
  • Ter visibilidade e informações através da rede para uma melhor compreensão do estado dos processos 
  • Vincular informações a sistemas de análise avançados e, em seguida, otimizá-las para fornecer insights ao centro de controle para uma análise mais aprofundada e um gerenciamento proativo 
  • Ter fácil visualização e governança dos dados e cumprir os padrões de privacidade e segurança na nuvem 

Orquestrando fluxos e movimentações 

habilidade de orquestrar todos os fluxos e movimentações ao longo da cadeia logística figura como uma das principais vantagens competitivas e tem se tornado uma competência fundamental para empresas em diferentes setores. 

Empresas que dominam eficientemente a própria cadeia logística sabem que os pontos mais críticos são a capacidade de visualizar todos os fluxos e processos, bem como, de identificar rapidamente os pontos de melhoria, continuamente eliminando ineficiências e otimizando sua produtividade. 

No longo prazo, empresas que atingem os mais altos patamares de excelência operacional em seus processos logísticos são aquelas que investem no desenvolvimento de uma cultura de excelência, conseguindo articular pessoas, processos e tecnologia em prol da eficiência da cadeia logística.  

Com a adoção de uma plataforma tecnológica como o conjunto de soluções único para gestão de ativos e logística – a plataforma OKTO – desenvolvido pela Atech, é possível conectar nuvem e #LogísticaNxT para compor a logística colaborativa, onde as empresas são parceiras e compartilham recursos e formam uma rede, “unindo forças para identificar conjuntamente oportunidades de inovação, redução de custos logísticos e, claro, aumento da eficiência operacional”, destaca Jefferson Castro, gerente de Produto da Atech. 

CategoriesBeginner,  Excelência Operacional,  Melhoria Contínua

Como a tecnologia está levando os processos produtivos ao próximo nível

Em um sistema econômico fortemente competitivo, as empresas são levadas a melhorar permanentemente os seus processos produtivosA busca pela melhoria contínua é uma estratégia fundamental para racionalizar custos, ganhar maior eficiência no processo produtivo, oferecer produtos novos – com melhor desempenho ou maior funcionalidade -, mantendo-se à frente dos concorrentes e ampliando a participação no mercado. Portanto, a capacitação tecnológica é o caminho para se conseguir responder às pressões competitivas. 

A tecnologia faz parte do dia a dia das empresas. E o objetivo é que os colaboradores entendam a tecnologia embutida nos produtos e serviços, a utilizada para produzi-los, a empregada no controle do processo produtivo e a que organiza a gestão do negócio.  

Mas tecnologia, que está levando os processos produtivos ao próximo nível, é muito mais que apenas equipamentos, máquinas e computadores. Uma empresa funciona a partir da operação de dois sistemas que dependem um do outro de várias maneiras. Existe um sistema técnico, formado pelos equipamentos, ferramentas e processos utilizados para realizar cada tarefa. Existe também um sistema social, com suas necessidades, expectativas e sentimentos sobre o trabalho. Os dois sistemas são simultaneamente otimizados quando os requisitos da tecnologia e as necessidades das pessoas são atendidos conjuntamente.  

E essa união entre o homem e a tecnologia é o primeiro ponto que está transformando os processos produtivos. Trabalhar juntos. Parece um conceito simples, mas nem sempre funciona dessa maneira. Fazer sua equipe trabalhar em conjunto durante momentos de mudança pode ser difícil.  

É preciso mostrar que a automação não substituirá o trabalho em equipe e criar um senso de responsabilidade e pertencimento entre a equipe. Para otimizar os processos produtivos a equipe deve ter a liberdade de colaborar através do uso de tecnologias inovadoras e intuitivas, de forma alinhada com a melhoria contínua. 

Uma nova realidade 

 Inovadoras tecnologias e sistemas de gestão de ativos e de logística estão transformando os processos produtivos e cada vez mais as empresas percebem seus benefícios para os processos produtivos e implantação de uma cultura de melhoria contínua.  

Uma das principais razões para investir em inovadoras tecnologias está na possibilidade de implantar eficientes estratégias de manutenção de ativos e reduzir o tempo de inatividade. Identificar possíveis falhas antes que ocorra uma parada é vital para manter a competitividade. Quanto mais rápido você detectar o problema, menor será o impacto na sua produção. 

Um benefício adicional da detecção precoce de problemas também pode ser a segurança dos funcionários.  

Além disso, com inovadores sistema de gestão de ativos que coletam e analisam dados enviados pelos sensores embarcados nos equipamentos e dispositivos de IoT (Internet das Coisas) é possível fazer o monitoramento e o controle remoto de equipamentos críticos, reduzindo o tempo de inatividade e custos.  

Essa capacidade de monitoramento também permite ter total visibilidade da condição do ativo, o que é importante não apenas para reduzir o tempo de parada, mas também para reduzir erros e defeitos na produção.  

As tecnologias digitais, quando são aplicadas de forma ampla na atividade industrial, produzem benefícios como aumento da eficiência operacional e redução de custos, flexibilização das linhas de produção e redução dos prazos de lançamento de produtos, além de criação de produtos, serviços digitais e modelos de negócio.  

A implementação das tecnologias que levam os processos produtivos a um novo patamar é decisiva para a competitividade das empresas e para a maior integração às cadeias globais de valor. E essa é a percepção dos líderes de negócios, segundo estudo da CNI (Confederação Nacional da Indústria) – Investimentos em Indústria 4.0 – que aponta qual é o foco dos investimentos em tecnologias digitais: 

Segundo o estudo da CNI, esse movimento contribui para o crescimento da indústria no Brasil. O percentual das empresas que pretende investir em tecnologias digitais é maior entre as empresas cujo investimento tem como objetivo principal introduzir um produto novo, ou introduzir um processo produtivo novo ou melhoria contínua. 

Ainda de acordo com a CNI, com relação à natureza do investimento, entre as empresas cujo principal investimento consiste na aquisição de novas tecnologias, quase oito em cada dez (77%) pretendem investir em tecnologias digitais. Entre as empresas cujo principal investimento consiste na aquisição de máquinas e equipamentos ou na melhoria da gestão do negócio, os percentuais são menores, mas também significativos (60% e 56%, respectivamente), mostrando como as empresas estão apostando nas tecnologias para levar os processos produtivos ao próximo nível.  

Quer saber mais como a tecnologia, com sistemas de gestão de ativos que tornam os processos digitais e mais eficientes, baseado em melhoria contínua, e também sistemas de gestão de logística que integram processos e entregam uma visão global vão levar os seus processos produtivos ao próximo nível – a IndustryNxT? Entre com contato com os especialistas da Atech. 

CategoriesImprensa Corporativa – Conexões Inteligentes

Conectividade está impulsionando a produtividade na indústria

Por Ricardo Hayashi, responsável por produtos para Conexões Inteligentes da Atech

Na Indústria 4.0, tecnologias inovadoras vieram para transformar e otimizar todas as fases da cadeia produtiva, baseadas em interoperabilidade, virtualização, descentralização, informações em tempo real, computação em nuvem e modularização, digitalizando produtos, processos e equipamentos. E o que todas essas tecnologias têm em comum? A necessidade de conectividade para captar e interpretar informações, comunicarem-se entre si e, assim, agirem em conjunto, fornecendo uma visão holística das operações em toda a cadeia e permitindo reduzir custos de manutenção, bem como aumentar a vida útil dos ativos e a produtividade.

A conectividade no chão de fábrica já é uma realidade na aquisição de dados provenientes de diversos sensores e dispositivos de IoT implantados em toda uma linha de produção, possibilita a exploração de grande volume de dados por aplicações de Inteligência Artificial e Big Data Analytics, automatizando a tomada de decisão em busca de redução de custos operacionais, do aumento da produtividade e de novas oportunidades de receita.

Em nossos projetos de implementação de soluções de conexão inteligente e de gestão de ativos, observamos a eficiência dessa nova linha de montagem inteligente, onde o grande fluxo de dados estratégicos enviados e recebidos por todos os componentes da fábrica são analisados em tempo real, conectando pessoas, softwares, equipamentos, máquinas e robôs.

Megatendência tecnológica

A conectividade foi apontada pelo Fórum Econômico Mundial como uma três das tecnologias chaves para transformação da produção, em um estudo apresentado na reunião realizada em janeiro de 2019. Junto com a conectividade, que cria conexões entre dispositivos, sensores, máquinas e softwares, e aumenta a visibilidade do que ocorre no chão de fábrica, o relatório indica a inteligência artificial – que automatiza o reconhecimento do evento e o tratamento para a tomada de decisão – e a automação flexível, que incorpora mecanismos responsivos, automação e movimentos remotos, como as tecnologias que vão impulsionar a produtividade na indústria.

Segundo o estudo, a aplicação dessas tecnologias chaves é que vão determinar o impacto no âmbito da produção inteligente, a partir da escolha do melhor modelo para a integração entre a inteligência, a automação flexível e a conectividade.

Mas todos os benefícios das tecnologias que promovem a Indústria 4.0, fundamentada em inovação, produtividade e competitividade, só poderão ser alcançados se a infraestrutura de conectividade das “coisas” estiver plenamente disponível, e muitas empresas têm obtido sucesso nessa jornada com a implantação de soluções para conexões inteligentes como as Redes Mesh, tecnologia que já vem fazendo a diferença no setor de energia, dando conectividade a medidores inteligentes para permitir a medição remota do consumo.

Na indústria, as Redes Mesh têm permitido rastrear itens produzidos e monitorar grandes objetos físicos, proporcionando conexão sem fio de alta confiabilidade para coletar dados do chão de fábrica e várias outras áreas para a geração de estratégias de manutenções preditivas, superando desafios na busca de maior eficiência operacional, gerando novos negócios e mais valor aos seus produtos, capacitando as empresas que adotam as Redes MESH a enfrentarem a crescente pressão competitiva que marca o atual ambiente de negócios.

FUTURE, NXT: O PAPEL DA TECNOLOGIA E DA INOVAÇÃO
PARA GOVERNOS, PESSOAS E ORGANIZAÇÕES