indústria 4.0
CategoriesConexões Inteligentes,  Senior

Cinco maneiras como o 5G será essencial para a Indústria 4.0

A rede móvel de quinta geração tem um enorme potencial de transformar a indústria. Segundo um estudo da Ericsson, o potencial de negócios 5G para o setor em 2026 é de cerca de US$ 113 bilhões. Mas como exatamente a nova rede levará à quarta revolução industrial? Veja algumas alternativas:

Mais flexibilidade com fábricas sem fio

As máquinas conectadas à rede podem fazer mais do que as que estão offline. No entanto, os fabricantes normalmente usam ethernet e wifi, e progressivamente 4G LTE, para conectar dispositivos de fábrica.

Mas com o 5G, os operadores podem alimentar suas instalações inteiras, dentro e fora do espaço físico, sem problemas com uma rede para operações quase sem fio e adoção mais rápida de novas tecnologias. Um robô, por exemplo, poderá vir com um cartão SIM embutido, sendo facilmente conectado à rede 5G, ao invés de existir uma rede dedicada somente a este tipo de dispositivo.

As máquinas sem fio também podem circular livremente, aumentando a flexibilidade e a produtividade. E, com a baixa latência fornecida pelo 5G, cerca de 10 milissegundos, elas podem ser monitoradas em tempo real.

Além disso, a adoção do 5G para manufatura irá mover a função normalmente localizada dentro do robô para um computador central via cloud distribuída, ou computação de borda. Isso reduz custos de cabeamento e aumenta a flexibilidade, pois as máquinas podem ser reprogramadas e movimentadas com mais facilidade.

Maior produtividade

Para os fabricantes, a produtividade aumenta a economia. A rede 5G permite até um milhão de sensores por quilômetro quadrado, bem como latência ultrabaixa, que pode fornecer aos operadores dados reais ou em tempo próximo a partir de dispositivos equipados com sensores para melhorar a produtividade.

Além disso, o monitoramento em tempo real fornecido pela baixa latência da 5G permite que a empresa melhore o monitoramento do processo de fabricação para evitar erros; dentro de milissegundos, os operadores sabem quando precisam alterar os parâmetros da máquina ou correm o risco de reconfigurar a peça. Estudos de caso com 5G demonstraram um potencial de redução de custos que chega até a 30 milhões de euros em uma única fábrica.

De fato, quanto mais complicado o processo de fábrica, mais ele pode ser automatizado, o que gera reduções de custo ainda maiores. Quanto mais peças precisam ser transportadas, mais etapas de produção e fornecedores, quanto mais distribuída a configuração, maiores são os benefícios da digitalização industrial 5G.

Manutenção preditiva em tempo real

 Máquinas quebradas paralisam a produção, causando um prejuízo considerável. A manutenção preventiva com 5G, no entanto, pode ajudar a evitar falhas antes que elas aconteçam.

Especialistas do Worcestershire 5G Consortium, um centro do Reino Unido para testar casos de uso de 5G, conseguiram aumentar a produtividade de uma fábrica da Worcester Bosch em cerca de 1% ao adicionar milhares de sensores a máquinas para monitoramento, evitando falhas.

Conectividade sob medida

Gerenciar conectividade é, obviamente, outro gasto e inevitavelmente aumenta a preocupação com segurança, especialmente quando se trata de operações críticas. No entanto, a velocidade, capacidade, cobertura e a criptografia podem ser adaptadas às necessidades específicas de diferentes máquinas e operações, o que pode melhorar a segurança de maneira substancial, sem aumentar os custos de maneira agressiva.

Redes 5G são mais adaptáveis ao “slicing”, que é a divisão da rede em camadas para diferentes aplicações, auxiliando no suporte às mudanças do volume de produção.

Novos modelos de negócios

Na medida em que o mercado muda, novos modelos de negócios industriais vão surgindo, e as empresas precisam estar prontas para a inovação. No Reino Unido, por exemplo, um consórcio envolvendo algumas indústrias formou uma rede que vende o tempo das máquinas – ou seja, a manufatura pode se tornar, também, um serviço.