Até hoje, a solução da Atech ocupa uma posição de destaque no cenário mundial de controle de tráfego aéreo, com o Brasil entre o seleto grupo de nações desenvolvedoras de tecnologia de vanguarda neste campo”

A Atech S/A foi oficialmente criada em dezembro de 2009, mas sua história começou muito antes disso, quando, na década de 80, o Brasil buscava uma solução completa e nacional para o controle e a gestão do tráfego aéreo. Na ocasião, o país contava com uma tecnologia estrangeira para esse fim.

A Força Aérea Brasileira (FAB), especificamente o Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA), decidiu investir em uma solução própria, inovadora e audaciosa, o software X-4000, também chamado de Sistema de Tratamento e Visualização de Dados (STVD), que começou a ser implantado no início da década de 1990.

E foram esses profissionais, responsáveis pelo X-4000 na década de 80 que instituíram a Atech em 1997. A mesma que, em 2009, se tornou Atech S/A.

A Atech, portanto, faz parte da nacionalização da tecnologia de tráfego aéreo do Brasil. Um sistema que marcou a história dos equipamentos de controle de tráfego aéreo no mundo, pois foi pioneiro no uso de monitores de alta resolução e de processamento gráfico de alto desempenho e estações de trabalho, como processadores e arquitetura distribuída.

Até hoje, a solução nacional ocupa uma posição de destaque no cenário mundial de controle de tráfego aéreo, com o Brasil entre o seleto grupo de nações desenvolvedoras de tecnologia de vanguarda nesse campo.

Já como Atech S/A, essa equipe participou da evolução do sistema X-4000, que após anos de estudos junto aos usuários do sistema, para aderência aos mais recentes padrões internacionais, se transformou no atual Sistema SAGITARIO (Sistema Avançado de Gerenciamento de Informações de Tráfego Aéreo e Relatórios de Interesse Operacional).

O novo sistema gerou maior autonomia ao operador, assegurando maiores facilidades operacionais e recursos avançados para a tomada de decisões. Isso é possível porque a tecnologia do SAGITARIO foi desenvolvida com a participação dos profissionais que atuam na linha de frente do monitoramento aéreo, os controladores, e seguindo as melhores práticas e recomendações existentes no mercado internacional, como as adotadas nos sistemas especificados pela EUROCONTROL (Organização Europeia para a Segurança da Navegação Aérea).

Entre os avanços presentes no SAGITARIO destacam-se: maior agilidade  nas ações rotineiras dos controladores, identificando e alertando sobre as situações de conflitos ou riscos; flexibilidade na configuração de parâmetros de software; redução da carga de trabalho do controlador e outras facilidades e inovações técnicas que permitem uma administração centralizada, incremento da confiabilidade e mecanismos de redundância, recursos para manutenção à distância, além de facilidades voltadas para reconfiguração, evolução do sistema, treinamento e homologação de novas versões. O sistema também foi configurado para receber os aplicativos necessários para evolução da navegação aérea.

O SAGITARIO antecipou-se a uma tendência mundial de integração de sistemas de controle de tráfego aéreo, abrangendo inúmeras funcionalidades do CNS/ATM (Comunicação, Navegação e Vigilância em Gerenciamento de Tráfego Aéreo) e mostra-se, até hoje, como uma solução avançada na fusão de dados dos sensores de vigilância (radares, ADS-B e outros) e nos sistemas de tratamento de planos de voos.

Pensando sempre em manter o sistema atual e na vanguarda, a Atech tornou-se uma das empresas mais qualificadas em todo o mundo no desenvolvimento de novas tecnologias de gerenciamento do tráfego aéreo.

Além do SAGITARIO, a empresa desenvolveu uma solução avançada para gestão de fluxo do tráfego aéreo, o SIGMA (Sistema Integrado de Gestão de Movimentos Aéreos), com o objetivo de maximizar a eficiência da navegação aérea.

O SIGMA é um moderno sistema de ATFM (Air Traffic Flow Management), cuja função principal é balancear a capacidade de atendimento dos aeroportos e do espaço aéreo com a demanda projetada de movimentos aéreos. Esse sistema foi um importante aliado da FAB durante a Copa do Mundo 2014 e os Jogos Olímpicos Rio 2016, na manutenção da rotina viária, evitando atrasos nos voos.

Soluções na área de ATM

A partir desses dois sistemas, a Atech desenvolveu uma família completa de soluções na área de CNS/ATM – a Família Makron, lançada em 2018, congrega todas as soluções já desenvolvidas ou em fase de implantação pela Atech na área de ATM.

Atualmente, são nove produtos integrados, voltados para o gerenciamento e controle de tráfego aéreo, além de soluções para a capacitação dos controladores de voo e pilotos.

Os produtos Makron são: ATC-SAGITARIO, para controle de tráfego aéreo; AFTM-Skyflow, para gerenciamento de fluxo do espaço aéreo; AMHS-Cygnus, para o intercâmbio de mensagens aeronáuticas; RAFIS-Cosmos, voltado para prestação de serviço de informações de voos em aeródromos remotos; OPMET-Aura, para gerenciamento do banco de dados de informações meteorológicas; IFPS-Leo, que é o sistema de tratamento inicial de planos de voos, que responde pela validação de consistência dos planos em conformidade com as regras da OACI (Organização de Aviação Civil Internacional), calculando os perfis 4D e distribuindo esses planos aos órgãos envolvidos;   eFPL-Janus, aplicativo para a submissão de  planos de voo por meio de celulares e dispositivos móveis; SWIM‑Aquila, plataforma de compartilhamento de informações correntes do espaço aéreo, dentro de padrões mundiais de interoperabilidade; e o PLATAO, plataforma de simulação de situação aérea, treinamento e capacitação de controladores de tráfego aéreo e pilotos.

Com essas soluções, a Atech reforça a capacidade brasileira em sistemas ATM, atendendo não apenas a realidade nacional, mas também se mantém alinhada com as principais diretrizes mundiais no setor, gerando segurança e pontualidade dos voos e melhor capacidade de gerenciamento de todo o sistema.

A Atech também se posiciona no mercado mundial como provedora de soluções completas na área de ATM, ressaltando a capacidade da empresa em oferecer produtos e serviços que atendam às necessidades específicas de cada país e respectivas entidades locais prestadoras dos serviços de navegação aérea (ANSP). Hoje as soluções Atech já são exportadas, como é o caso do ATFM-Skyflow, versão comercial do SIGMA, que está em operação na Índia, e versões do SAGITARIO em operação em países da América Latina.

Voltar para a página de 10 anos